A 16 de abril a Viver Santarém realizou a 2.ª Conferência das suas Jornadas Desportivas através da plataforma zoom e em direto para o Facebook, contando com mais de 100 participantes.

A iniciativa integrada nos 40 anos do Festival Nacional de Gastronomia (FNG) teve como objetivo lançar o debate sobre a promoção da atividade física.

Na abertura, o Presidente do Conselho de Administração da Viver Santarém, Dr. João Leite, saudou os participantes, salientando a determinação da Viver Santarém em continuar próxima da comunidade em geral, “apesar deste momento difícil que estamos a viver, queremos através da utilização das novas tecnologias dar continuidade a um conjunto de iniciativas que estavam previstas”. João Leite agradeceu a todos os oradores, bem como ao moderador, professor Dr. Alfredo Amante, nesta nova edição promovida pela Viver Santarém com o apoio da Câmara Municipal de Santarém, aproveitando para saudar a Vereadora do Desporto, Dr.ª Inês Barroso.. Dirigiu um especial agradecimento aos técnicos da Viver Santarém na pessoa do professor Dr. Tiago Simões.

O professor Dr. Alfredo Amante, que realçou a forte participação da conferência tendo ultrapassado os 100 participantes, moderou o debate que teve bastante participação do público, efetuando diversas questões aos oradores convidados.

O primeiro conferencista, Professor Doutor Diogo Monteiro da ESDRM/IPS, investigador premiado, versou sobre o tema do “Abandono e Persistência Planeamento e Retirada do Desporto” focando-se na literatura científica bem como nos dados empíricos recolhidos em investigações recentes (entrevista a 1008 ex-nadadores). “Porque é que os jovens aderem à prática desportiva e porque é que a abandona?” foram as questões chave. A existência de outras prioridades, a necessidade de treino, a falta de divertimento e a falta de resultados estão entre as principais causas apontadas para o abandono desportivo. Os estudos apontam que mais de 70% dos abandonos ocorrem na transição para o ensino universitário. Cerca de 62,4% abandonam e não regressam à prática desportiva

O segundo orador, o Professor Doutor António Moreira da ESDRM/IPS, cuja formação em desporto se alia à Medicina Chinesa, discorreu sobre “Como podem as autarquias desenvolver a prática desportiva?” apresentou uma súmula genérica com um breve estudo de caso. Deteve-se no concelho de Santarém, no qual fez questão de focar o “Projeto Sénior”, antes de uma caracterização demográfica e geográfico. Santarém tendo uma população envelhecida, deveria apostar no plano de formação de técnicos em prática com Tai Chi, o Yoga, de entre outas, com resultados benéficos atestados. Salientou a necessidade de estratégias políticas em termos de “desporto escolar”, “desporto federado” e “deporto para os mais velhos”.

De seguida, Dr. João Socorro, técnico municipal em Beja, em Moura e em Almada, dedicou a sua intervenção ao tema “Os eventos desportivos nas autarquias – que impacte na atividade física do município?”. Neste tempo difícil, «de repente estamos todos em casas» sugeriu um novo tipo de “eventos” relacionado como práticas desportivas no domicílio (aspeto que a Viver Santarém também já está a implementar com o “Viver em Movimento” e os “Desafios Viver Santarém”). Falou da importância do desenvolvimento do dossier do evento, da conceção de objetivos realistas. Nenhum projeto é imutável e deve sempre haver um plano B.

A Vereadora Dr.ª Inês Barroso que sublinhou estar entre amigos e colegas. Sublinhou a capacidade da equipa da Viver Santarém se reinventar, destacando muito do trabalho que tem sido desenvolvido no pelouro do Desporto “há estratégia de apoio aos clubes materializada em 350.000€ de investimento em atividade regulares e dos escalões de formação e de 110.000€ em «pontos altos» de organizações. Acolhemos eventos de foro nacional e internacional temos eventos com milhares participantes e com milhares de euros de retorno. Foi criado um Conselho Municipal de Desporto já foi objeto de estudo. Quando somos ambiciosos, consideramos que nos falta fazer tudo, ainda há muito para concretizar”.